quarta-feira, 31 de julho de 2013

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Quebra-cabeça Summit montado

Já se passaram praticamente três meses desde quando postei que havia recebido o meu quebra-cabeça personalizado. Embora eu não tenha iniciado a montagem imediatamente após ter recebido o pacote, acabei finalizando o processo de montagem bem rapidamente, em torno de três noites. 

Como fazia tempo que não montava um quebra-cabeça, quis registrar o progresso com fotografias de meu celular capenga.
O desafio se deu por conta de que, bem, a arte é maravilhosa mas ela tem uma notável predominância de tons similares. Toda a arte em segundo plano se mostrou um pouco trabalhosa, mas paciência opera milagres. O fato que meu computador acabou se encostando na época contribuiu para que a montagem fosse rápida e ininterrupta.

Hoje, a peça está emoldurada e pendurada no meu quarto; mas o quebra-cabeça uniu a família aqui de forma que há tempos não acontecia. Enquanto eu estava montando, sempre aparecia alguém para tentar encaixar algumas peças. Quando retornou do marceneiro, ela até chegou a ficar exposta na sala por uma semana, antes de encontrar seu local definitivo.

Figurinos de Lara Croft em LCGOL

domingo, 28 de julho de 2013

Coleção: Premium Trading Cards

Aproveitando que ainda tenho algumas fotos perdidas da coleção de itens que não figuraram por aqui no blog, hoje vou apresentar a coleção (eternamente incompleta, infelizmente) de cards inspirados nos dois filmes de Tomb Raider.
LCTR Base: 90/90 LCTRCOL Base: 81/81
LCTR Especiais: 25/27 LCTRCOL Especiais: 32/35

Conseguir um set completo das cartas básicas era bastante simples, e acredito que mesmo hoje, após a Inkworks já ter saído do mercado, ainda devem estar circulando por preços acessíveis no eBay. A dificuldade para os diversos cards promocionais é notável, entretanto, seja pela mera quantidade ou pela raridade de alguns casos mais específicos, portanto são poucas as pessoas no mundo que possuem um set mestre.

Os cards possuem qualidade fotográfica e são estampados com diversas cenas dos filmes, além de curiosidades dos bastidores. O verso dos cards conta uma versão resumida da história, normalmente com algumas diferenças da edição final (da mesma forma como acontece com as adaptações literárias). 

No que diz respeito aos cards promocionais, os mais difíceis de se adquirir, obviamente, são os autografados pela Angelina Jolie. Enquanto os demais autografados podem ser adquiridos por valores abaixo de 25 USD, o de Angelina, normalmente, costuma ser listado por aproximadamente 700 USD. Outros cards um pouco mais difíceis de encontrar são os "Pieceworks", que são um pouco mais espessos e abrigam um pedaço de tecido das roupas usadas nas gravações.

Como eu disse no começo, essa é uma coleção que permanecerá incompleta permanentemente, tão somente pelos valores praticados por esses cards. Adoraria ter tido a sorte de ter aberto um booster e encontrado uma Angelina Jolie, mas dos poucos boosters (de Lara Croft Tomb Raider) que adquiri, o card mais raro que consegui foi o LC9, um pedaço do miniset que monta uma imagem maior. Apenas para referência, estes são os cards que faltam em minha coleção:
Eu acabei esquecendo de fotografá-los no dia, mas também possuo um flyer de cada coleção, usados para divulgação e promoção junto aos revendedores. Fora isso, também acho que convém aproveitar esse espaço para incluir a coleção de "raspadinhas" da Ericsson, de apenas 10 cards, de LCTR.

sábado, 27 de julho de 2013

Tributo compila diversos níveis do TRLE

Este vídeo foi feito pelo membro Matie e publicado em janeiro deste ano. Eu só tomei conhecimento de sua existência quando assisti ao tributo a Northern Legends, mas na ocasião pensei que seria overdose postar os dois vídeos praticamente juntos aqui no blog.

Após uma série de postagens programadas e outras feitas às pressas através do notebook de minha irmã, e agora que finalmente estou escrevendo de minha própria máquina, achei que seria o momento ideal para fazer minha parte e divulgar esse excelente tributo.

Se você não tem o costume de jogar níveis do Level Editor, segue um pequeno aperitivo do que existe disponível gratuitamente na internet. Agora, se você já é familiarizado com esse fantástico mundo, possivelmente relembrará de passar por algumas dessas áreas.

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Lara Croft: Tomb Raider - The Cradle of Life

Seguindo modelo da postagem do primeiro filme, 25 de julho marcou a estreia de Cradle of Life nos cinemas norte americanos, exatamente 10 anos atrás. Apesar de ser um filme mais divertido que o primeiro, a recepção não foi tão boa quanto o esperado (e também no mesmo ano, Angel of Darkness apresentava sinais de fadiga da franquia nos videogames), o quê provavelmente fez com que a Paramount desistisse de produzir um terceiro longa.

Desta vez, a história gira em torno da mitológica Caixa de Pandora. A aventura começa na Grécia, onde Lara descobre um templo no fundo do mar, e se desenrola por diversas outras locações, como laboratórios subterrâneos e arranha-céus em Hong Kong, e um passeio em torno do monte Kilimanjaro, na Tanzânia.
Luna Temple
Muitos dos elementos do primeiro filme foram mantidos, mas drasticamente reduzidos. A mansão Croft faz uma breve aparição, e Bryce e Hillary também retornam em seus respectivos papéis, embora o laboratório de Bryce tenha sido reduzido à seu trailer. No lugar de Alex West entra Terry Sheridan, que abre brecha para a obrigatória cena de amor dos padrões de Hollywood.

O vilão da história é Johnathan Reiss, cientista que recebeu prêmio nobel mas que acabou descobrindo uma fonte de renda melhor negociando armas biológicas com figurões do submundo. A Caixa de Pandora, supostamente, abriga uma doença letal para a qual não há cura, e, portanto, torna-se o mais novo objeto de desejo de Reiss.
Flower Pagoda
Existem inúmeras coisas no filme que poderiam ou deveriam ter sido feitas de forma diferente, talvez a principal sendo a exclusão da infâme cena em que Lara soca um tubarão (tão somente porque obviamente o filme inteiro deve se resumir à essa cena, não importando com quem quer que você fale) - embora teoricamente esteja correta

Uma coisa que toda a equipe não cansou de dizer foi o quanto Angelina "adaptou" o filme para se encaixar na sua visão da personagem. Como exemplo, uma das maiores reclamações sobre o primeiro filme: a trança e os shorts. Eles se foram, mas, como um todo, não são perdas tão agravantes. De certa forma, e a meu ver, suas influências foram certas, o que tornava Angelina, de fato, a Lara Croft ideal para os cinemas.
Petrified Forest
Não tenho grandes memórias do livro de Dave Stern, mas nos próximos dias iniciarei uma nova leitura, tomando notas, para elencar as diferenças e curiosidades. Outro ponto que gostaria de levantar antes de encerrar a postagem diz respeito ao tema sonoro criado para o filme: sensacional. Talvez tenha sido apenas a nostalgia falando mais alto, mas o tema principal me fez sentir calafrios. Na mesma linha, a cena em que Lara finalmente decodifica o Orbe... sensação indescritível.

A abertura da postagem não deve deixar dúvidas, mas eu considero LCTRCOL muito melhor que Lara Croft: Tomb Raider, o que, na época, me deixara extremamente ansioso para o terceiro filme. Infelizmente, nunca veio a acontecer.
The Cradle of Life

domingo, 21 de julho de 2013

Curiosidades e conexões: Lara Croft Tomb Raider

As adaptações literárias são excelentes para melhor desenvolver o universo de Tomb Raider representado nos filmes. Apesar de ainda ser notavelmente distante dos demais universos, o autor Dave Stern preencheu algumas lacunas com referências aos jogos, e embora sejam essencialmente irrelevantes, não deixam de ser sacadas geniais.

A linhagem Croft é mencionada superficialmente no decorrer do livro: Robert Croft, pai de William Croft, avô de Richard Henshingly Croft, bisavô de Lara Croft. Todas gerações viveram na mesma mansão Croft e, portanto, talvez se incomodariam com o estilo de vida mais incomum de Lara. Curiosamente, em momento algum o nome da mãe de Lara é mencionado; existem diversas menções à uma Olivia, porém é apenas uma das colegas de Richard.

Um tema recorrente na trama é a formação de uma aurora boreal em cada um dos estágios do alinhamento planetário. Isso talvez justificaria o diálogo entre Lara e Hillary no observatório, enquanto Lara observa através do telescópio e afirma que existe muito à se admirar até o eclipse: Hillary, certamente, a olho nu, seria incapaz de enxergar os planetas, mas poderia apreciar o fenômeno. 

Durante o encontro de Lara com Manfred Powell, ela questiona se ele "já ouviu falar no Clock of Ages." Esta conversa chegou a ser gravada e está presente em um dos trailers, porém não chegou à edição final. Da mesma forma, a cena deletada em que Powell assassina Paul Wilson acontece momentos antes da invasão à mansão Croft.

Falando na invasão, ela é um pouco diferente no livro. Não existe um confronto direto no salão principal, e, na garagem, Lara usa granadas de gás para criar cobertura. Como visto no filme, Bryce usa a localização dos veículos estacionados como referência para sinalizar a posição dos inimigos, e Lara só erra um dos disparos, na verdade, porquê Bryce havia saído com o carro e o deixado em outro lugar. Esta é uma das curiosidades reveladas nos comentários do diretor, no DVD.

O filme nunca mostra como Powell e Alex West uniram forças, mas no livro é explicado que Powell faz uma visita ao apartamento de Alex ― decorado com poucos móveis mas diversos tesouros. Outra cena que também pode ser vista em um dos trailers (e também em um dos cards da Inkworks) diz respeito à simulação que Bryce faz para calcular o alinhamento dos planetas e as coordenadas geográficas da tumba.
Na Tumba da Luz Dançante, Lara não "surfa" na viga. Ao invés, ela salta sobre ela para cortar as cordas que a mantém suspensa e derrubá-la. A urna, então, não é perfurada pela agulha, mas sim por um disparo de Powell durante um acesso de raiva causado pela audácia de Lara. Já a estátua do Brâman é muito mais ágil, sendo até mesmo capaz de saltar. Após perceber que a estátua está numa perseguição implacável pelo artefato, Lara e Alex o arremessam, de um lado para o outro, distraindo e confundindo a estátua. Durante essa distração, Lara descarrega suas pistolas impiedosamente, destruindo dois dos seis braços. Para finalizar, Lara aproveita as investidas da estátua para forçá-la a derrubar pilares que sustentam a tumba: o colapso de parte do teto sobre a estátua permite que Lara, finalmente, escape.

Eu me obriguei a rir, quando encontrei no livro a frase "You only live once." É, sim, uma expressão antiga, mas, com o propagar das redes sociais, #yolo acabou se tornando uma moda recentemente. Para todos os efeitos, é usada no livro quando Lara e Alex decidem provar peixes definhados, oferecidos por um dos pescadores no vilarejo. Apesar do julgamento inicial negativo, os dois aprovaram o petisco.

O filme apenas menciona que a segunda tumba fica na Sibéria, mas o livro fornece uma localização mais específica: região sul do arquipélago de Nova Zembla. Enquanto a equipe se separa em times menores para os trenós, Bryce e Pimms fazem as apresentações sociais e este é o único momento, em toda a história, que o nome completo do cidadão é revelado. Roderick Pimms. A revelação vem acompanhada de outra pergunta: seria Bryce o nome ou o sobrenome do assistente de Lara?

Ao contrário da primeira tumba, a Tumba das Dez Mil Sombras tem um nome um tanto peculiar, e que em momento algum é esclarecido no filme (acho que a maior parte da audiência e, provavelmente, dos fãs sequer sabia que elas possuiam nomes). Ainda em sua existência, a cidade da luz usava o poder do triângulo para vaporizar soldados inimigos, deixando nada além de suas carcaças, enegrecidas e petrificadas ― sombras. "O poder que a Illuminati almeja," Lara argumenta, tentando convencer Alex de que ele está do lado errado.

Dentro do sol, Lara cai dentro de uma tempestade temporal e testemunha diversos sítios arqueológicos em seu primor, inclusive a cidade da luz, momentos antes de ser destruída pelo meteoro. E durante a briga com Powell pela posse do poder do triângulo, Lara tem diversas visões: seu pai encontrando o relógio, Powell desejando a posição de Richard nos escalões da Illuminati, e até mesmo sua própria morte aos sete anos, num incêndio na biblioteca da mansão. É difícil determinar se era apenas um truque de Powell ou se a morte de Lara, de fato, aconteceu e de alguma forma foi revertida por seu pai. Provavelmente a primeira das opções, mas é interessante considerar a segunda pois era um elemento constante na franquia (The Last Revelation, por exemplo, e também quando Sarah Pezzini se viu forçada a matar Lara Croft no universo dos quadrinhos).

A luta final entre Lara e Powell inicia com uma briga de facas. Uma mera extensão do confronto, mas a grande sacada está no jeito como ela termina: após derrotar Powell, Lara percebe uma tempestade temporal próxima e não tem dúvida do que deve fazer. Powell merece algo pior que a morte, então ao ser arremessado dentro da tempestade temporal, fica preso para toda a eternidade. Levemente diferente do que teria sido visto no filme, mas o conceito é similar.

Agora, as referências cruzadas entre o filme e os jogos:
  • Quando Lara e Wilson saem da sala de leilões, o artefato a ser leiloado é nada menos que a Adaga de Xian (Dagger of Xian).
  • No filme, Lara acusa Alex de ter roubado suas Prayer Wheels. O livro sugere que Alex teria acompanhado Lara em sua incursão ao mosteiro tibetano de TR2.
  • Wilson convenceu os pais de Lara a deixarem-na participar de uma excursão junto à um certo Von Croy. Depois, Lara relembra de inúmeros elementos do Camboja graças à essa excursão (TR4)...
  • A foto e o favor que Lara cobra; "Marines for Hire," um grupo mercenário com quem Lara se encontrou durante a expedição que realizou para Natla Tech (Atlantean Scion).
  • Enquanto Lara observa Powell e Alex discutindo no quartel general dos Illuminati (antes de invadir o apartamento de Alex), em Veneza, ela é surpreendida com uma breve visita do irmão mais novo de Bartoli (TR2).
Para concluir, acho que seria deveras interessante assistir à uma versão estendida do filme, contendo todo esse material extra. Talvez não as coisas mais místicas (como as aparições e distorções fisionômicas de certos personagens, que sequer quis mencionar aqui), mas ter acesso à todo esse material coesamente editado seria um sonho.


STERN, Dave
Lara Croft: Tomb Raider
Estados Unidos
Pocket Books Media Tie-In
2001
343 páginas
ISBN 0743424298

terça-feira, 16 de julho de 2013

Tutorial para Free for All de Tomb Raider

Ainda estou sem minha máquina, mas tenho feito o possível para acompanhar sites e fóruns favoritos numa base diária. Assim que possível, embora ainda sem previsão, retomarei as postagens irregulares e constantes de outrora.

O blog oficial de Tomb Raider recentemente divulgou o trabalho de um fã que explica minuciosamente dicas e estratégias para quem gostou do modo multiplayer aperfeiçoar suas habilidades. O modo escolhido para cobrir no tutorial foi o "Free For All" (FFA), o único modo de jogo individual. Eu ainda lembro quando o usuário surgiu e trouxe consigo a vontade de concretizar esse projeto. Só espero não voltar tarde demais para aquele que eu estava desenvolvendo junto com Relight.

Eu aproveitei o modo em minha jornada à platina do jogo no PS3, mas não posso dizer que ele foi interessante ou divertido como o de Uncharted 3: Drake's Deception. De qualquer forma, o trabalho investido neste vídeo é notável e, portanto, digno de alguns minutos de seu dia se o multiplayer em algum momento despertou interesse ou curiosidade.