quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Retrospectiva Raider Daze 2014

Apesar de todos os contratempos e adversidades do cotidiano, este foi um ano bastante prolífero para o blog, por isso decidi fazer uma retrospectiva do que rolou aqui no Raider Daze em 2014. O maior e mais importante evento, certamente, foi ser aceito no programa de fansites da Crystal Dynamics. Poderia parafrasear uma conhecida frase do Homem-Aranha, mas vou me abster. Ao invés, vamos relembrar os acontecimentos do ano...

A E3, que ocorreu em junho, surpreendeu com um anúncio duplo para os fãs: Temple of Osiris já está entre nós e Rise of the Tomb Raider está a caminho, mesmo que apenas para alguns. Em contrapartida, Reflections foi cancelado antes de sequer se tornar alguma coisa.

Decidi encarar alguns projetos pessoais que estavam pendentes há tempos. Dentre eles, os detonados de The Golden Mask e The Lost Artifact, e devo dizer que estou orgulhoso desses trabalhos em particular. Não sou exatamente bom com edição de vídeos e tampouco tenho paciência para aprender coisas novas, mas me esforcei para casar esse material junto. A demanda beira o não existente, mas não deixei isso me impedir.

Outro guia no qual também me empenhei foi o do supracitado e recém lançado LCTOO, trazendo em primeira mão catálogos de colecionáveis. Vou continuar oferecendo esse tipo de apoio compulsivo graças aos desafios comunitários, então permanecerei ativamente no jogo por alguns meses.

Ainda nessa parte de "conteúdo exclusivo," graças aos milagres da emulação eu exibi a sala de troféus de Anniversary (Wii) e, finalmente, desvendei as Tomb Trials de Legend (PSP). Ainda em território do PSP, fiz capturas das lendárias roupas exclusivas de TRL e TRA. E falando em roupas, também postei algumas imagens que extraí de LCR, e, embora não tenha desenvolvido nada sobre isso, planos existem...

O ano também rendeu algumas adições à minha coleção. O foco esteve, claramente, nos quadrinhos, com um progresso substancial nessa área. Não poderia ter sido diferente, afinal a Dark Horse começou a publicar novas HQs e a experiência me garante que é mais fácil comprá-las agora, conforme saem, do que correr atrás delas depois...

No que diz respeito ao Level Editor, eu infelizmente não consigo voltar a me dedicar a ele com a mesma intensidade de outrora. Mesmo assim, consegui finalizar os níveis de Back to Basics Venice e Khmer Empire, sem falar no fantástico Hypersquare. Eu não devo voltar a construir níveis, mas rejoguei Vendetta! para criar um pequeno vídeo ‒ ainda hoje me orgulho deste nível, ciente de que nem de longe seja uma obra prima. 

Bem, acredito que todas as bases tenham sido cobertas. Agradeço sua visita e espero que o conteúdo que apresento no blog instigue retornos periódicos. Que 2015 seja um ano de grandes realizações para todos nós!

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Guia de espólios de Temple of Osiris: Amuletos


Eis aqui a terceira e última parte dos espólios de Lara Croft and the Temple of Osiris. Amuletos talvez representem os itens mais interessantes do jogo, uma vez que eles concedem habilidades adicionais para toda a equipe quando você preenche o medidor de poder, coletando gemas e matando inimigos sem sofrer dano.

Frozen Pendant of Set's Chosen 84
Jogo Base
6
DLC
3
Eventos
93
Total

[Atualizado em 22/05/2015: Set's Silver Flail]

sábado, 27 de dezembro de 2014

Guia de espólios de Temple of Osiris: Anéis


Dando continuidade às listagens dos espólios de Lara Croft and the Temple of Osiris, hoje trago os anéis. Embora bônus iguais não se somem, você pode equipar dois simultaneamente para combinar seus efeitos. Ao contrário de amuletos, os efeitos de um anel equipado estão sempre ativos.

Lost Ring of Bes 96
Jogo Base
12
DLC
3
Eventos
111
Total

[Atualizado em 03/04/2015: #111 Silver Ring of Light]

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Guia de espólios de Temple of Osiris: Armas


A seguir você pode conferir uma listagem de todas as armas de Lara Croft and the Temple of Osiris, ordenadas em ordem alfabética.

Onyx Pistols 44
Jogo Base
10
DLC
4
Eventos
58
Total

[Atualizado em 18/02/2015: #58 Gold Rifle]

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Pensamentos pós Temple of Osiris

No momento em que finalmente sento para escrever esta postagem, já somo mais de 40 horas de jogo em Temple of Osiris. Se eu precisasse resumir o jogo em uma palavra, acredito que "excelente" seria a minha escolha ‒ embora não seja perfeito, ele cumpre bem seu propósito e mantém o foco sempre na diversão.

No decorrer das últimas duas semanas, eu me vi jogando a campanha do começo ao fim três vezes, e essa provavelmente é minha maior crítica ao jogo: ele é extremamente curto. Eu adorei a inclusão de um hub central que interliga todas as tumbas adjacentes, mas todas as tumbas propriamente ditas podem ser finalizadas em menos de 10 minutos cada. Levando em consideração que não existem muitas, e algumas das áreas são apenas chefes, é um jogo notavelmente menor que Guardian of Light.
Eu acredito que as fases sejam assim pois o jogo foi projetado para grupos de quatro jogadores. A menos que você esteja em cooperativo local ou jogando com amigos, é praticamente impossível que um grupo se mantenha durante longas sessões, e, mesmo quando curtas, as poucas vezes que tentei jogar online eu custei para completar uma única tumba.

Aí entra outro problema técnico, embora talvez não necessariamente culpa do jogo. O lag torna a experiência sofrível, com mortes aleatórias, personagens voando pelo cenário, câmera perdendo o foco... A lista é extensa, mas acredito que a causa aqui esteja presa a infraestrutura dos serviços e questões de latência. O cooperativo local para dois jogadores funcionou perfeitamente, obrigado.

Aliás, devo ressaltar que toda minha experiência com o jogo se dá apenas com a versão para PC. Quando Batman: Arkham Knight chegar, finalmente migrarei para o PlayStation 4 e já anseio pelos dias em que vou poder caçar os troféus de LCTOO. Meu PC já carrega quase dois anos nas costas, mas mesmo assim proporcionou um jogo estonteantemente lindo enquanto mantinha a taxa de quadros entre 40 e 60 quadros por segundo. Em alguns momentos do hub central houveram quedas bruscas, mas nada incompreensível.

Pelo que tenho lido nos fóruns, muitas pessoas têm tido diversos tipos de problemas e glitches, mas eu curiosamente não sofri nenhum. Enquanto desenvolvia meu guia para os desafios, eu inclusive estava alternando entre dois sets de saves (o jogo só permite um) e ambos continuaram funcionando normalmente após a instalação do patch oficial, que barrou o progresso de muita gente por aí.

As fases, apesar de curtas, são bastante diferentes entre si, trazendo uma variedade muito boa considerando que todo o jogo se passa no Egito. Já os quebra-cabeças, pelo menos como são apresentados para um jogador, são extremamente simples e não devem apresentar dificuldades. Os desafios também foram reduzidos em escala, quando comparados aos de LCGOL, mas ainda assim fazem sua parte para estender a vida útil do jogo em algumas horas.

Alguns sistemas novos também prolongam o jogo. O primeiro deles é o sistema de espólios ("loot"). A pontuação agora também possui uma mecânica pseudo-monetária: você usa as gemas para abrir baús e, assim, encontrar anéis e amuletos de diferentes raridades. Como em alguns jogos de RPG, a raridade do item determina o seu poder.

Existem algumas poucas armas elementais lendárias que surgem por ali, mas acredito que a maior parte dos jogadores nunca vai encontrar uma simplesmente porque não existe um incentivo para isso. Apenas as pessoas com TOC vão se dar o trabalho de jogar repetida e incansavelmente para angariar gemas o suficiente para colecionar todos os itens. O blogueiro que vos redige a palavra nesse momento é um deles, e mesmo com as supracitadas 40 horas de jogo, continua encontrando anéis novos a cada sessão.

Outra novidade que eu também aprovo com louvor é a inclusão de desafios comunitários. De forma resumida, todas as semanas existe uma meta global a ser atingida por todos os jogadores (como "matar n inimigos usando arma x") que rende um espólio exclusivo caso a comunidade tenha êxito. Na prática, é um sistema similar ao de Resident Evil 6, que permanece ativo quase dois anos após seu lançamento.

Por fim, a abordagem de DLCs também me parece melhor que em LCGOL. Ao invés de pequenas ideias, teremos ao menos duas tumbas completas, com desafios e colecionáveis próprios, e roupas. Em janeiro, as roupas inspiradas por Hitman, Deus Ex e Underworld serão listadas para venda, mas sem dúvida a que mais vai agradar aos fãs nostálgicos de Tomb Raider está inclusa no DLC que será disponibilizado oficialmente em fevereiro...
http://forums.eu.square-enix.com/showthread.php?t=145177
Eu, honestamente, espero que o jogo tenha vida longa. Todas as semanas eu jogarei algumas horas para fazer minha parte nos desafios comunitários, mas ainda tenho esperanças para uma roupa de Lightning (de Final Fantasy XIII), então gostaria de acreditar que futuros DLCs possam vir a ser desenvolvidos para manter a comunidade engajada até o lançamento de Rise of the Tomb Raider.

Agradecimentos especiais à Crystal Dynamics e a Square Enix por terem ofertado uma cópia do jogo. Como eu já havia feito a pré-compra do meu, recebi autorização para repassar o brinde através de um sorteio que realizei aqui no blog no lançamento.

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Tela de loading de Temple of Osiris

Guardian of Light tinha uma das melhores e mais variadas galerias de telas de loading. Já seu sucessor, Temple of Osiris, decepciona neste quesito por contar com apenas uma tela que, ainda por cima, usa a mesma arte chave que vemos desde o anúncio do jogo...

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Guias para os desafios de Temple of Osiris


No desenrolar dos próximos dias, publicarei alguns guias para Lara Croft and the Temple of Osiris. Não acredito que um detonado seja uma forma viável para abordar o jogo devido à sua natureza, então, ao invés, vou cobrir diferentes aspectos do jogo em pequenas doses.

Nesta primeira parte, trago os desafios de todas as áreas. Considerando que a maioria esmagadora deles são autoexplicativos, percebi que não seria necessário detalhar um a um, então em alguns casos eu gravei e editei (até onde minhas limitações permitem) vídeos curtos e objetivos. Peço desculpas antecipadas pelo amadorismo na edição e, também, pelas ocasionais quedas de quadros por segundo.
Excluindo-se o hub central e os chefes, todas as tumbas possuem dois tipos de desafios padrão: um de pontuação e um de tempo. Na prática, isso significa que você vai precisar repetir as fases algumas vezes para conseguir completar todos os desafios.

Mantenha em mente que o medidor de poder é fundamental para atingir pontuações altas, portanto evite tomar dano ou morrer, além de explorar bem os cenários atrás de gemas escondidas. Já para os desafios de tempo, simplesmente esteja familiarizado com os enigmas da tumba e abuse das cambalhotas de Lara para cobrir terreno rapidamente. Fica ainda mais fácil quando você estiver equipado com armas e amuletos melhores, embora você simplesmente possa ignorar a maior parte dos inimigos.

Por fim, recomendo que você encare esses desafios no modo para um jogador para evitar frustrações alheias.

Temple of Osiris

Pyramid of Osiris 100k 6:00

Este nível corresponde ao prólogo do jogo e só pode ser revisitado após a história ser concluída. Para acessá-lo, entre na pirâmide onde você enfrenta os chefes e acione o obelisco vermelho próximo ao portão.


Challenge Tombs

Assim como em Guardian of Light, as Challenge Tombs de Temple of Osiris são completamente opcionais. Desta vez, porém, existem apenas cinco e todas são acessadas através do mapa central.

[ * * * ]


[ * * * ]


[ * * * ]


[ * * * ]


[ * * * ]

domingo, 21 de dezembro de 2014

sábado, 20 de dezembro de 2014